Ir direto ao conteúdo

Benefícios dos Exercício Respiratório e do TMI
(Treinamento da Musculatura Inspiratória) no Esporte

Voltar

Essa seção é dedicada aos praticantes de esportes, sejam eles praticantes de exercícios leves, praticantes regulares de atividades físicas,
esportistas amadores ou até mesmo atletas de alto rendimento, que buscam melhora de performance na prática de seus exercícios.

Como vimos na página "O Exercício Respiratório e o TMI podem mudar sua vida", sua musculatura inspiratória, como qualquer outra,
pode ser treinada, proporcionando qualidade de vida, saúde e ganho de performance física.

Vencida a rotina de treinamento, você perceberá os benefícios do fortalecimento da sua musculatura inspiratória em poucas semanas.

Os praticantes de exercícios leves sentirão menos falta de ar e mais disposição para a pratica de suas atividades.

OOs praticantes regulares de exercícios se sentirão menos cansados e perceberão a redução da sensação de esforço durante e logo após seus exercícios

Os atletas perceberão o ganho de performance.

Entenda: Ao praticar atividades físicas, nossas células consomem mais oxigênio e produzem mais gás carbônico.

Para eliminarmos esse excesso de CO2, respiramos mais vezes, sobrecarregando o sistema respiratório podendo ocorrer fadiga dos músculos inspiratórios. Vale ressaltar que quanto menos treinados seus músculos inspiratórios forem mais rapidamente poderão se fadigar!

Nesse momento (de exaustão e fadiga muscular), ocorre o disparo de um fenômeno fisiológico chamado metaborreflexo. Que é o comando nervoso para passarmos a diminuir o ritmo dos exercícios até chegarmos no limite do "stress", momento em que somos forçados a parar definitivamente, prejudicando a performance.

Quando a musculatura respiratória passa por um programa de treinamento, torna-se mais forte e resistente à fadiga, retardando o disparo do metaborreflexo e proporcionando ganho de performance!

Diversos estudos mostram a importância do fortalecimento dos músculos da respiração para esportistas. Os esportes mais estudados até o momento foram: Ciclismo, Natação, Corrida, Triatlon, Fitness, Remo, Futebol, Rugby e Tênis.

Estes estudos (independentes envolvendo o TMI) apresentaram resultados significativos para esportistas profissionais, como por exemplo:

  • Melhora geral no desempenho;
  • Redução da sensação de esforço e cansaço;
  • Maior resistência e força dos músculos inspiratórios;
  • Aumento da capacidade de retomada ("sprints").

Dessa forma, podemos afirmar que a musculatura respiratória treinada exerce uma influência positiva sobre o desempenho dos exercícios e esportes, por retardar a ocorrência do metaborreflexo.

Benefícios no Esporte

Apresentando os Seguintes Resultados:

  • Remo: ganho de até 1,9% no tempo de prova (Volianitis et al., 2001)
  • Ciclismo: ganho de até 4,6% no tempo de prova (Romer et al., 2002a)
  • Corrida: ganho de até 2,1% no tempo de prova (Edwards et al., 2008)
  • Natação: ganho de até 1,5% no tempo de prova (Kilding et al., 2009)
  • Ganho de 7% na recuperação em sprints repetidos (Romer et al., 2002b)
  • Aumento de 16% na resistência em sprints (Tong et al., 2008)

SAIBA MAIS

O metaborreflexo acontece porque a musculatura inspiratória, principalmente o diafragma e músculos intercostais tem características semelhantes a dos demais músculos do aparelho locomotor, podendo apresentar fadiga durante tarefas ou exercícios mais extenuantes. E, igualmente aos demais músculos, quando o diafragma estiver treinado, irá trabalhar com mais eficiência.

Entenda mais sobre esse fenômeno chamado metaborreflexo
Como o consumo de oxigênio aumenta, temos também alterações nas quantidades de gás carbônico e do PH do sangue arterial. Os nervos dos músculos respiratórios informam o cérebro sobre essas alterações, para que ocorra o ajuste do sistema respiratório e cardíaco durante o exercício.

Quando a musculatura inspiratória, que está sobrecarregada, começa dar sinais de exaustão, ocorre a redistribuição do fluxo de sangue com mais intensidade para esta musculatura e para o coração. O organismo limita a chegada de sangue nos músculos que não estão participando da atividade respiratória (inativos) e limita também a chegada do sangue para os próprios músculos responsáveis pela atividade física. Tudo isso para aumentar a quantidade de sangue e oxigênio para a musculatura responsável pela respiração. Esse remanejamento do fluxo sanguíneo faz com que os músculos do sistema locomotor fadiguem e ocorra a interrupção do exercício físico.

Quando a musculatura da respiração passa por um treinamento, torna-se mais forte e mais resistente, retardando a fadiga da musculatura respiratória, que é um fator limitante para a prática de atividade física.

MELHORA DE PERFORMANCE

O exercício físico caracteriza-se por uma situação que retira o organismo de sua homeostase, pois implica no aumento instantâneo da demanda energética da musculatura exercitada e, conseqüentemente, do organismo como um todo. Assim, para suprir a nova demanda metabólica, várias adaptações fisiológicas são necessárias (1).

Em situação de repouso inspiramos e expiramos aproximadamente 500 ml de ar a cada ciclo. Apresentamos de 12 a 14 respirações a cada minuto. Portanto, aproximadamente 6.000 ml de ar entram e saem de nossas vias aéreas durante 1 minuto (2).

Quando executamos uma atividade física, nossas células produzem uma quantidade bem maior de gás carbônico e consomem maior quantidade de oxigênio. Por isso aumentamos bastante nossa ventilação pulmonar. Durante o exercício a ventilação pulmonar pode ser 15 a 30 vezes maior do que em repouso (2). Para o ajuste da ventilação pulmonar, entre outros fatores, contamos com o trabalho da musculatura respiratória. Atualmente relatou-se que o aumento do trabalho muscular inspiratório limita o desempenho físico (3,4,5).

Evidências apontam a limitação no desempenho físico a um mecanismo chamado metaborreflexo inspiratório, no qual fibras nervosas quimiosensíveis são sensibilizadas pelo acúmulo de metabólitos (são os intermediários e os produtos de metabolismo) durante o exercício físico fatigante promovendo o aumento da atividade simpática e vasoconstrição periférica (6,7,8,9). Esse fenômeno pode ser atenuado pelo treinamento muscular inspiratório (10,11). Os músculos respiratórios são inervados por fibras nervosas quimiosensíveis (metaborreceptores) que respondem ao acúmulo de metabólitos produzidos durante o exercício (6).

Quando os metaborreceptores são ativados, ocorre aumento dos níveis de noradrenalina, elevação da atividade nervosa simpática muscular e induzem vasoconstrição periférica, reduzindo o fluxo sanguíneo para a musculatura esquelética inativa, bem como para a musculatura esquelética ativa, exacerbando a fadiga dos músculos periféricos (7,12,8, 9,13). A restrição do fluxo sanguíneo para a musculatura ativa pode prejudicar o desempenho físico durante o exercício (14). Assim, podemos dizer que metaborreflexo inspiratório pode apresentar efeitos relevantes para indivíduos envolvidos com competições esportivas (3).

A musculatura inspiratória pode ser treinada. Quando esse grupo muscular recebe treinamento, exerce uma influência positiva sobre o desempenho nos exercícios e esportes. Na vigência do treinamento da musculatura inspiratória, podemos detectar alguns ganhos:

  • Aumento de força da musculatura inspiratória (15,16,17)
  • Aumento da resistência da musculatura inspiratória (15,16,17)
  • Diminuição da concentração de lactato (18)

Possivelmente o treinamento da musculatura inspiratória promova a redução do acumulo de metabólitos durante o trabalho da musculatura inspiratória o que poderia atenuar a atividade do metaborreflexo (3,12).

Alguns estudos mostram que o exercício realizado com redução do trabalho muscular inspiratório (via assistência ventilatória) aumenta o tempo de exercício em 14% - provavelmente por inibir o metaborreflexo (12).

O objetivo dessa página é de fornecer a você uma breve introdução sobre alguns aspectos do processo respiratório para que passe a entender como o Exercício Respiratório e o TMI podem se aplicar a sua vida.

Não é nossa intenção esgotar o assunto, mas tão somente oferecer a você condições para que entenda mais sobre esses assuntos e fundamente suas decisões.

Estamos sempre à disposição para esclarecimentos de dúvidas em todos os nossos canais de comunicação.

Referências Bibliográfica

1- Fisiologia Respiratória - 6ª Edição 2002 - West, John B

2- Livro: Fisiologia do Exercício - Energia, Nutrição e Desempenho Humano - William D. Macardle

3- Chest. 2008 Sep;134(3):613-22. Update in the understanding of respiratory limitations to exercise performance in fit, active adults. - Dempsey JA, McKenzie DC, Haverkamp HC, Eldridge MW.

4- Med Sci Sports Exerc. 2008 Mar;40(3):457-61. Respiratory system determinants of peripheral fatigue and endurance performance. - Dempsey JA, Amann M, Romer LM, Miller JD.

5- Am J Physiol Heart Circ Physiol. 2008 Jun;294(6):H2465-72. Epub 2008 Mar 28. Effects of respiratory muscle unloading on leg muscle oxygenation and blood volume during high-intensity exercise in chronic heart failure. - Borghi-Silva A, Carrascosa C, Oliveira CC, Barroco AC, Berton DC, Vilaça D, Lira-Filho EB, Ribeiro D, Nery LE, Neder JA.

6- Brain Res. 2000 Feb 21;856(1-2):240-4. Discharge of group IV phrenic afferent fibers increases during diaphragmatic fatigue. - Hill JM

7- J Physiol. 2000 Dec 1;529 Pt 2:493-504. Fatiguing inspiratory muscle work causes reflex sympathetic activation in humans.> - St Croix CM, Morgan BJ, Wetter TJ, Dempsey JA.

8- JPhysiol. 2001 Nov 15;537(Pt 1):277-89. Fatiguing inspiratory muscle work causes reflex reduction in resting leg blood flow in humans. - Sheel AW, Derchak PA, Morgan BJ, Pegelow DF, Jacques AJ, Dempsey JA.

9- Am J Physiol Heart Circ Physiol. 2002 May;282(5):H1732-8. Threshold effects of respiratory muscle work on limb vascular resistance. - Sheel AW, Derchak PA, Pegelow DF, Dempsey JA.

10- J Physiol. 2007 Nov 1;584(Pt 3):1019-28. Epub 2007 Sep 13. Inspiratory muscle training attenuates the human respiratory muscle metaboreflex. - Witt JD, Guenette JA, Rupert JL, McKenzie DC, Sheel AW.

11- J Physiol. 2006 Nov 15;577(Pt 1):445-57. Epub 2006 Sep 14. The influence of inspiratory muscle work history and specific inspiratory muscle training upon human limb muscle fatigue. - McConnell AK, Lomax M.

12- J Appl Physiol. 1997 May;82(5):1573-83. Respiratory muscle work compromises leg blood flow during maximal exercise. - Harms CA, Babcock MA, McClaran SR, Pegelow DF, Nickele GA, Nelson WB, Dempsey JA.

13- J Am Coll Cardiol. 2008 Apr 29;51(17):1663-71. Inspiratory muscle training improves blood flow to resting and exercising limbs in patients with chronic heart failure. - Chiappa GR, Roseguini BT, Vieira PJ, Alves CN, Tavares A, Winkelmann ER, Ferlin EL, Stein R, Ribeiro JP.

14- J Appl Physiol. 2008 Mar;104(3):879-88. Epub 2007 Dec 20. Exercise-induced respiratory muscle fatigue: implications for performance. - Romer LM, Polkey MI.

5- Med Sci Sports Exerc. 2002 Jul;34(7):1194-8. Inspiratory muscle training fails to improve endurance capacity in athletes. - Williams JS, Wongsathikun J, Boon SM, Acevedo EO.

16- Br J Sports Med. 2004 Dec;38(6):730-6. Inspiratory resistive loading improves cycling capacity: a placebo controlled trial. - Gething AD, Williams M, Davies B.

17- Phys Ther. 2006 Mar;86(3):345-54. Effect of high-intensity inspiratory muscle training on lung volumes, diaphragm thickness, and exercise capacity in subjects who are healthy. - Enright SJ, Unnithan VB, Heward C, Withnall L, Davies DH

18- Respir Physiol Neurobiol. 2009 Dec 31;169(3):282-90. Epub 2009 Sep 15. Effects of different respiratory muscle training regimes on fatigue-related variables during volitional hyperpnoea. - Verges S, Renggli AS, Notter DA, Spengler CM.

O objetivo dessa página é de fornecer a você uma breve introdução sobre alguns aspectos do processo respiratório para que passe a entender como o Exercício Respiratório e o TMI podem se aplicar a sua vida.

Não é nossa intenção esgotar o assunto, mas tão somente oferecer a você condições para que entenda mais sobre esses assuntos e fundamente suas decisões.

Estamos sempre à disposição para esclarecimentos de dúvidas em todos os nossos canais de comunicação.

Voltar

Benefícios no Esporte